quinta-feira

O processo de luto diante de uma perda. (Assistam o vídeo)

Vídeo mostra macacos de luto após matarem robô acidentalmente 

Quando o programa da BBC “Spy In The Wild” (“Espião na Natureza”, em tradução livre) enviou um macaco robô a uma comunidade de langures em Rajastão, Índia, os produtores não contavam com a possibilidade de o modelo acidentalmente ser “morto”.  No entanto, isso permitiu que a câmera escondida nele capturasse detalhes íntimos de como os langures velam o corpo supostamente morto. De acordo com informações do Bored Panda, o vídeo chocou e comoveu os espectadores na internet, uma vez que a reação dos macacos à morte é semelhante ao sofrimento experimentado pelos seres humanos.





A objetivo do programa era colocar um equipamento com câmera na esperança de registrar a vida selvagem da perspectiva de um animal. Esse tipo de conhecimento, segundo os produtores, poderia ajudar a entender melhor os animais e mostrar que não somos tão diferentes deles quanto pensamos. Especialmente quando se trata de macacos, nossos “parentes” mais próximos.



Antes de ser acidentalmente destruído, o robô conseguiu informações que sugerem que os macacos também têm amigos e inimigos, ficam estressados, são ligados às mães e, como mostra o vídeo, passam por um processo de luto após uma perda.
Assistam o vídeo.

sexta-feira

Could You Survive a Fallout?



Você sobreviveria a uma guerra nuclear?

A Vsauce3 aborda a questão de quanto tempo você seria capaz de durar depois de um ataque nuclear. Embora não haja um inventário oficial, estima-se que existam mais de 10.000 armas nucleares. Apenas um quarto disso seria suficiente para acabar com toda a América do Norte.
 Em 1954, “Castle Bravo”, a maior bomba nuclear já detonada pelos Estados Unidos, criou uma nuvem de cogumelo que se elevou a 40 quilômetros em apenas dez minutos e se estendeu por quase 100 quilômetros pelo oceano. Com a força de 15 megatons de TNT, foi semelhante a um bilhão de quilos de TNT de uma só vez. Além do mais, o teste nuclear russo – “Tsar Bomb” – de 1961 foi a maior explosão feita pelo homem.
 O lixo radioativo de uma explosão pode contaminar o ambiente e tudo o que vive nele, incluindo seres humanos. Graças à nuvem de cogumelo de uma explosão nuclear – e aos ventos – partículas radioativas podem viajar milhares de quilômetros do ponto de explosão original. No caso de Castle Bravo, uma área de mais de 12.950 quilômetros quadrados foi afetada.
 Todo esse material radioativo não é fácil de ser detectado. Estrôncio-90 contamina o solo, as plantas e os animais. Uma vez que ele entra em nossos corpos, pode manter a emissão de radiação por anos, causando câncer nos ossos e leucemia.